Thursday, May 24, 2012

Exposição: Pedro David, Fauna Galeria

Fotógrafo Pedro David expõe trabalho premiado na Fauna Galeria Vencedor do prêmio Pierre Verger, artista mineiro reúne imagens inéditas de O Jardim, com texto de apresentação do curador espanhol Alejandro Castellote A partir de 1º de junho, na Fauna Galeria, em São Paulo, o fotógrafo mineiro Pedro David apresenta o trabalho inédito O Jardim, que conquistou o Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, em 2011. “Comecei a fotografar essa série em 2009 e ainda está em progresso. Ganhei o prêmio no meio do caminho”, conta Pedro David, que em 2008 mudou-se para a periferia de Belo Horizonte, e passou a clicar galpões abandonados, árvores tombadas, ruas interditadas pela lama e outros detalhes dos bairros Vale do Sol e Jardim Canadá, que não são catástrofes, mas mostram a difícil convivência entre homem e natureza nesses espaços periféricos. “O que me deu o start para O Jardim foi o conto de Jorge Luis Borges, Do Rigor na Ciência*”, conta. “A motivação foi o tema do abandono junto com a construção, e a atmosfera fantástica. O resultado é metonímico: uso dois bairros para falar de tudo, do crescimento acelerado, da explosão urbana, da paisagem alterada em que é possível perceber os rastros e os vestígios da presença humana, sem que para isso tenham que aparecer pessoas nas fotos”, completa o fotógrafo. O curador espanhol Alejandro Castellote, que conheceu Pedro David durante o Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo, escreveu o texto de apresentação do livro O Jardim, com 30 fotografias, que será lançado junto com a mostra na Fauna Galeria. Para Castellote, “a periferia das cidades (...) é um dos temas da fotografia contemporânea na última década; milhares de fotógrafos em todo o mundo tem se aproximado destes não-lugares que se proliferam em todo tipo de civilizações. Pedro David esquiva-se das representações já estereotipadas e empreende uma viagem, minúscula em suas dimensões geográficas, na qual se transparece sua própria experiência e se reconhecem, entre outros, os ecos da literatura, da pintura, da escultura e do land art”. O homem e o meio Desde 2000, Pedro David fotografa a interação do ser humano e o ambiente onde vive. No início, a partir de viagens para o interior. Um de seus trabalhos mais conhecidos é o livro Paisagem Submersa (Cosac Naify, 2008), ao lado dos também mineiros João Castilho e Pedro Motta. O trio retrata as comunidades ribeirinhas que tiveram suas terras inundadas em Minas Gerais, para formar o lago da Usina Hidrelétrica de Irapé, no leito do rio Jequitinhonha. “Em 2005, comecei a me interessar pelo cotidiano na cidade, a registrar o meu próprio ambiente, a minha vida”, explica o artista. “Esse é o primeiro trabalho em que consegui convergir. Trata-se de uma série de pequenas viagens pelo meu bairro e arredores. São lugares por onde passo regularmente”. Para Pedro David, a escolha do equipamento fotográfico de formato grande e filme de 4X5 polegadas é fundamental. "Ao partir de lugares que fazem parte do meu cotidiano, tenho a possibilidade de experimentação e o tempo necessários para elaborar imagens mais profundas que em muitas viagens, com a riqueza de detalhes e tons característicos do formato grande”. O artista participará do PHotoEspaña, em junho, em Madri, com o trabalho Aluga-se, inserido na exposição coletiva Esquizofrenia Tropicalcom curadoria de Iatã Cannabrava. A coletiva faz parte de um projeto maior do festival, dedicado à América Latina, o Transatlântica PHE. *Trecho de conto de Jorge Luís Borges, Do Rigor da Ciência: “(...) Naquele Império, a arte da cartografia atingiu uma tal perfeição que o mapa duma só província ocupava toda uma cidade, e o mapa do império, toda uma província. (...) (...) menos apegadas ao estudo da cartografia, as gerações seguintes entenderam que esse extenso mapa era inútil e não sem impiedade o entregaram às inclemências do sol e dos invernos. Nos desertos do oeste subsistem despedaçadas ruínas do mapa, habitadas por animais e por mendigos (...)” Sobre Pedro David (Santos Dumont, MG, 1977) - Vive e trabalha em Belo Horizonte. Graduado em jornalismo, cursou pós-graduação em artes plásticas e contemporaneidade. Publicou, com os fotógrafos João Castilho e Pedro Motta, o livro Paisagem Submersa (Cosac Naify 2008). Realizou mostras individuais no Museu da Imagem e do Som (São Paulo, 2011), no Centro Cultural São Francisco (João Pessoa – PB, 2011), Centro Municipal de Fotografia de Montevideo (Uruguay, 2008), Palácio das Artes (Belo Horizonte – 2008). Conquistou o Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger (2011), o Prêmio União Latina – Martín Chambi de Fotografia (2010) e o Prêmio Porto Seguro Brasil de Fotografia (2005). Entre as coletivas que participou, destacam-se as realizadas no Ex-Teresa Arte Actual (México D.F., 2011), Noordelicht Photogallery (Groningen, Holanda, 2008), 5ª Bienal de Fotografia e Artes Visuais de Liége (Mammac – Liége, Bélgica, 2006) Sobre a Fauna Galeria – Dedicada à arte contemporânea e primeira galeria especializada em fotografia de São Paulo, a Fauna representa artistas brasileiros das mais diversas tendências, abarcando a pluralidade da fotografia brasileira. Fundada em 2010 por Carolina Magano Prado e Patricia Cataldi, já apresentou exposições individuais de Bruno Veiga, André Paoliello, Ruy Teixeira, Tuca Vieira, Carlos Dadoorian, Felipe Russo, Eduardo Muylaert, Jair Lanes, Mariano Klautau, Rodolfo e Adriano Vanni, e Alexandre Sequeira, e a coletiva de Claudia Jaguaribe, Ana Beatriz Elorza, Bruno Vilela, Flávia Sammarone, Ilana Lichtenstein, Luana Navarro e Sheila Oliveira. Exposição O Jardim Fotografias de Pedro David Endereço: Fauna Galeria. Al. Gabriel Monteiro da Silva, 470. Telefone: 11 3668.6572 Abertura: 31 de maio de 2012, quinta-feira, 19h Visitação: de 1 de junho, sexta-feira, a 28 de julho 2012 Horário: Terça a sexta, das 14h às 19h, e sábado, das 11h às 17h Entrada: Gratuita www.faunagaleria.com.br

0 Comments:

Post a Comment

<< Home